A nossa voz literária é sempre a nossa, o mesmo que ir procurando na oralidade a isenção de colagens e aproximações. Todos já nos sentimos a imitar alguém quando com ele interagimos, fomos contagiados. Então, uma das receitas para encontrarem a vossa voz aqui vos deixo: fiquem algum tempo isolados, sem contactarem com o mundo literário até sentirem que a voz com que escrevem já é a vossa. O que não invalida de primeiro aprenderem o abecedário. Depois, venha a persistente solidão.

Contudo, será que a vossa voz é interessante?

Se isso importa, olhem o mar e desenhem nas nuvens.

Porque sentir-se realizado é mais importante que engordar vaidades.

Anúncios