Penso que fazem falta novos livros. Também fazem falta novos leitores e, claro, novos escritores. Mas o que faz mesmo falta, por absurdo que pareça, é uma nova linguagem.