O problema é, será que ainda amamos da mesma forma?

Com o tempo mudaram os hábitos de carinho, e agora os pais expressam-se longe dos livros.

Onde ficam os livros no meio desta hiper tecnologia?
Para a grande parte de pais e filhos, simplesmente, não ficam. E, nos moldes actuais, não há volta a dar. A concorrência é brutal. Até porque as crianças vivem muito de estímulos imediatos e um livro demora o seu tempo a conquistar a atenção.

Enfim, fim.