O meu livro O Cristal da Ilusão contou com o apoio/inspiração de muitos, já aqui citei alguns. Todavia, os mais importantes foram a pessoa do vagabundo Manuel da Vaca Gorda (que o meu avô acolheu por anos numa pequena divisão da sua taberna em Ermidas do Sado) e a pessoa do poeta, pintor e professor, o meu amigo Augusto Vinagre que, ao contrário do primeiro, não foi tornado personagem vivente no romance, mas com toda a certeza foi o gatilho que disparou a escrita deste livro.

Em Dezembro de 2011 nasceu, então, O Cristal da Ilusão. Foi quando Augusto Vinagre me fez a surpresa de escrever um artigo, uma recensão ou, certamente, uma lembrança que relançou este livro e, nomeadamente, a pessoa de Manuel da Vaca Gorda (que o próprio, tal como eu, teve a sorte humana de conhecer e contemplar).

Além de ser uma perfeita recolha biográfica da alma e da vivência do vagabundo inspirador de livros e histórias ainda contadas e recontadas por terras sulistas, o que Augusto Vinagre fez foi um serviço de preservação do nosso património vivencial de intenso potencial evocativo, fundeando na verdade determinados factos da existência deste Ser ímpar, o andarilho que andarilhava pelas travessas da linha férrea desde o Algarve ao Barreiro porque, atentem, leitores amigos, tinha pavor de duas coisas: carros e monotonia. A monotonia certamente que a venceu, mas quanto ao pavor dos carros – aliado que estava ao destino, e a razão de cirandar pela ferrovia (para melhor lhes escapar) – não pode gritar vitória: o «ti Manel» acabou por falecer vítima de atropelamento.

Cliquem, por favor, no item seguinte, de modo a poderem ler o que Augusto Vinagre escreveu na sétima página do jornal algarvio a Avezinha, na edição de 15 de Dezembro de 2011

Lembrem-se ainda que o meu livro foi de certa forma ficcionado, com o andarilho a moldar-se aqui ou acolá à história que eu precisava contar. Todavia, o que Augusto Vinagre expõe é o reflexo daquela que é a verdadeira imagem ideada – que muitos ainda guardam no coração – daquele que considero ser «o último e verdadeiro viandante do Sul Europeu, Manuel da Vaca Gorda».

Por favor, acedam ao pdf:
Manuel-da-Vaca-Gorda, o Andarilho