Por esta altura do ano, algumas lindas flores enfeitavam a imensidão verdejante da planície alentejana, pensei, que saudades eu tenho da Primavera! Mas, depois, lembrei-me que a saudade só tem sentido quando estamos longe, e eu ali tinha aquelas flores bem à frente dos meus olhos, e não podia estar a sentir saudade… certamente era só uma “partida” da minha mente.

Andei depois mais alguns metros e acariciei uma das flores – como se fosse a mais maravilhosa à face da terra. Então, sorri e ela respondeu-me assim:

Quando um ser humano entende que as flores são um complemento da sua própria existência, também pode entender que todos temos um lugar neste mundo, e que é um erro enorme pensar o contrário.

Eu assenti, depois voltei a sorrir, e ela continuou:

Sabes, o mundo irá tomar um outro rumo, e está-se a aproximar essa data, por isso, diz a todos que esse rumo pode ser muito bonito, basta entendermos que só o amor importa. Somente o amor salvará a todos. E olha, eu que sou uma flor, posso-te dizer que, para o amor, nada há de melhor que uma simples flor.